Sarangi

Mais informações

Descrição

Instrumento feito a partir de uma única peça de madeira com forma alongada e corpulenta. O corpo é oco por dentro, plano na frente e abaulado atrás. Existe uma abertura estreita, longa e retangular na parte de trás do instrumento. Na parte da frente foi esculpida uma espécie de cintura e esta foi coberta por uma membrana que funciona como tampo harmônico. Uma barra de madeira está presente no interior e funciona de maneira similar à "alma" do violino ocidental. O braço se afunila ligeiramente em direção ao topo e atua também como um cravelhal para as cordas simpáticas. No cravelhal propriamente dito estão posicionadas três cravelhas e em sua extremidade superior foi esculpida a figura de um pássaro. Na extremidade inferior do instrumento existe um pequeno apêndice. O arco é rígido e convexo e a tensão da crina (de cavalo) é constante. Todo o instrumento é envernizado de preto e existem decorações com desenhos de flores e pássaros em cor amarelada na parte de trás do instrumento. O instrumento possui oito cordas feitas de aço e latão, sendo cinco cordas simpáticas que são as cordas que não são tocadas, mas soam “em simpatia”, ou seja, por ressonância, quando as cordas principais são tangidas ou dedilhadas. As três cordas são afinadas da seguinte maneira: fá3-dó3-dó3. As cordas simpáticas são afinadas em: fá3-sol3-lá3-si3-dó4. Para tocar o sarangi, o instrumentista se senta com as pernas cruzadas e repousa o instrumento na vertical em seu ombro esquerdo. Os dedilhados são feitos pelas unhas da mão esquerda, de modo que a pressão é aplicada lateralmente. Os dedilhados variam de músico para músico, mas, em geral, o mesmo dedo pode ser usado para mais de uma nota, de modo que as características ligaduras da música vocal indiana possam ser produzidas. As cordas são tangidas pelo arco que é segurado pela mão direita. O exemplar do Museu não possui arco. O catálogo do Museu Delgado de Carvalho feito em 1905 descreve adornos de ouro por todo o instrumento, porém, atualmente, estes estão pouco visíveis.

Para saber mais

Instrumento com sonoridade muito próxima da voz humana, encontrado na música do norte da Índia e do Paquistão. Não há uma padronização rígida no que diz respeito aos aspectos da estrutura e da técnica do instrumento, e por isso nas áreas rurais do norte da Índia, uma grande variedade de cordofones sem trastes e de arco são denominados de sarangi. O sarangi era originalmente um instrumento da música popular, mas foi incorporado à música erudita do norte da Índia, provavelmente por volta do século XVIII, quando o estilo khayālvocal com o qual o sarangi ainda está intimamente ligado, ganhou notoriedade. Por volta do século XIX, o sarangi ficou mais associado às dançarinas. No século XX, houve um declínio da popularidade do uso do instrumento devido, entre outros fatores, ao aumento da difusão do uso do harmonium que rivaliza com o sarangi como instrumento acompanhador.

Dados gerais [classificação e nomes adicionais]

321.321 Alaúdes em forma de tina com braço e cravelhame

Aktara sarangi (Fonte: BASE MINERVA, 2014), Aktara (Fonte: CARVALHO, 1905)

Dados do exemplar [este item em específico]

mvim_dc_co_0001

Não determinada

,

C=52cm L=9cm A=6cm

Inscrição posterior: etiqueta com identificação do catálogo de 1905 na parte da frente da caixa de ressonância "N. 46-AKTARA".

Doação de João Baptista da Motta e Rodolfo Bernadelli

MIDC/EM/UFRJ 321.3 I9 Prat. 8

Bibliografia

ALMEIDA, 1994.
BETHENCOURT; BORDAS; CANO; CARVAJAL; SOUZA; DIAS; LUENGO; PALACIUS; PIQUER, ROCHA, RODRIGUEZ; RUBIALES; RUIZ, 2012.
BASE MINERVA, 2014.
BRAGA, 1973.
BRANDÃO, 2013
CARVALHO, 1905.
GROVE MUSIC ONLINE, 2014.
MIGUEZ,1890-1895.
MIMO, 2014.
MUSEU DA MUSICA PT, 2014.
RANDEL, 1986.
ROLLA, 1974.
SADIE, 1994.
SOARES, 1990.
THE METROPOLITAN MUSEUM OF ART, 2014.