Reco-reco

Mais informações

Descrição

Instrumento com formato cilíndrico e feito de bambu. Possui sulcos transversais próximos uns dos outros ao longo da parte da frente do corpo. Na extremidade inferior do instrumento existe um anel feito de metal posicionado ao redor da circunferência do instrumento. Para tocar, o instrumentista fricciona os sulcos com um tipo próprio de baqueta. O exemplar do Museu não possui baqueta e na parte de trás do instrumento a madeira está levemente danificada (falta uma lasca de cerca de 6 cm de comprimento).

Para saber mais

Termo genérico para o idiofone raspado. Refere-se a qualquer tipo de material em cuja superfície – ou parte dela – seja feita uma série de sulcos transversais e paralelos bastante próximos, ao longo do comprimento da peça, para serem atritados ou friccionados, com um tipo próprio de baqueta. Há evidências desse instrumento que remontam à Idade da Pedra. Pode ser feito de um ou mais gomos de bambu (taboca ou taquara), madeira, metal, chifre bovino ou cabaça (como o seu similar cubano, o guiro). No Museu Delgado de Carvalho, há dois exemplares de reco-reco: um de bambu, mais comum, e outro, de madeira, geminado, para ser atritado um contra o outro.
Texto escrito pelo professor de percussão da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Pedro Sá.

Dados gerais [classificação e nomes adicionais]

112.22 Tubos raspados

Dados do exemplar [este item em específico]

mvim_dc_id_0085

Não determinada

,

C=37cm D=6cm

Sem marcas e inscrições

Não determinada

MIDC/EM/UFRJ 112.2 I1 Prat.2

Bibliografia

ALMEIDA, 1994.
BASE MINERVA, 2014.
BETHENCOURT; BORDAS; CANO; CARVAJAL; SOUZA; DIAS; LUENGO; PALACIUS; PIQUER, ROCHA, RODRIGUEZ; RUBIALES; RUIZ, 2012.
BRANDÃO, 2013.
MIMO, 2014.
PEDRO SÁ, 2014.
ROLLA, 1974.
SOARES, 1990.