Fagote

 

Mais informações

Descrição

Instrumento feito de jacarandá com formato cônico, tocado com palheta dupla. É formado por quatro articulações: bota ou culatra (seção final), canhão (que une a campana à seção final), asa (que se estende da bota até o bocal), campana e tudel (fino tubo em forma de S onde é inserida a palheta). O instrumento possui sistema francês, o mecanismo de chaves é feito de liga de latão com banho prata e possui um anel e quinze chaves. O tudel é feito de metal. A extensão do instrumento vai do Sib3 ao Mi4. O tudel desse exemplar está danificado porque foi cortado o que o tornou curto demais.

Para saber mais

A origem do fagote ainda não está totalmente esclarecida, mas acredita-se que o instrumento tenha surgido a partir da dulciana, que possuía um metro de altura e era formada por dois tubos cônicos de madeiras conectados na base. Provavelmente a dulciana foi sendo gradativamente modificada até dar origem ao fagote atual. Ao longo dos anos foram adicionadas chaves, as distâncias entre os orifícios e seus tamanhos foram aprimorados, a madeira alterada, a extensão aumentada, campana e tudel foram redesenhados. O fagote moderno surgiu após as modificações realizadas por Carl Almenraeder (1786-1846) entre 1817 e 1843. Almenraeder acrescentou algumas chaves, ajustou outras, deslocou e alargou orifícios, tudo com o objetivo de melhorar a entonação do fagote, tornar o dedilhado mais simples e o som mais uniforme. Existem dois sistemas de dedilhados e formas de tocar o fagote: o estilo francês, caracterizado pelo instrumento de Buffet, e o alemão, caracterizado pelos instrumentos de Heckel. O instrumento alemão por possuir sonoridade mais fluente e fácil de controlar, tende a ser mais utilizados do que os instrumentos franceses.

Dados gerais [classificação e nomes adicionais]

422.112 Oboés individuais com tubo cônico

Dados do exemplar [este item em específico]

mvim_dc_ae_0051

sec. XX d.C.

,

C (bota)= 43,07 C(canhão)=57,8 C(asa)=51,1 C(campana)=39,5

Inscrições de origem na bota, asa, culatra e canhão: "LEFÊVRE A PARIS BREVETÉ". Inscrição de origem na campana: "LEFÊVRE A PARIS 2392". Inscrição posterior na campana: placa de metal "Instituto Nacional de Música Rio de Janeiro".

Não determinada

MIDC/EM/UFRJ Aerofones 422.1 I 2 Prat.22

Bibliografia

ALMEIDA, 1994.
BERKLEY, 2009.
BETHENCOURT; BORDAS; CANO; CARVAJAL; SOUZA; DIAS; LUENGO; PALACIUS; PIQUER, ROCHA, RODRIGUEZ; RUBIALES; RUIZ, 2012.
BRANDÃO, 2013.
Consultoria de Aloysio Fagerlande (2014)
GROVE MUSIC ONLINE, 2014.
ROLLA, 1974.
SOARES, 1990.
YOUTUBE, 2014.

Notas

Número de série: 2392