Instrumentos híbridos (parte 2) :: Leonardo da Vinci

Álea S. de Almeida

Continuamos nossa investigação sobre os instrumentos musicais híbridos, ou seja, aqueles que nascem da junção de características de dois ou mais instrumentos musicais. No “Em Pauta” anterior falamos sobre o piano harpa, o violão harpa, a banduvitarra, a harpa dupla e o violão de dois braços.

Nesta semana vamos mostrar instrumentos híbridos muito curiosos inventados pelo famoso artista e cientista italiano Leonardo da Vinci (1452-1519).

Da Vinci acabou ficando muito conhecido como pintor, mas ele se ocupou também, entre outros assuntos, da Música. Leonardo era professor de música e instrumentista, era conhecido por ser um exímio tocador de lira. Chegaram até nós, registros antigos sobre ele que contam que Da Vinci cantava e improvisava muito bem.

Além disso tudo, Leonardo também era luthier, inventou vários instrumentos musicais e propôs melhorias para alguns que já existiam. Deixou várias anotações sobre estes inventos em seus cadernos de anotações que sobreviveram até nossos dias.

Projeto da viola organista

Caderno de anotações de Da Vinci

Entre os instrumentos que Da Vinci inventou está a viola organista, um instrumento de teclado, mas que soa como se vários instrumentos de cordas estivessem sendo tocados. O instrumento funciona assim: o teclado aciona a corda que é levantada e tangida por uma espécie de arco, produzindo os sons. A viola organista permite que várias cordas sejam tocadas ao mesmo tempo, o que produz a sonoridade de uma orquestra de cordas controlada pelos dedos do instrumentista.

O pianista polonês Slawomir Zubrzycki construiu uma viola organista a partir dos escritos de Leonardo da Vinci e deu um concerto com ela em 2013, veja abaixo um vídeo e imagens deste instrumento

Viola organista

Viola organista

Outro instrumento inventado por Leonardo da Vinci foi a lira de prata, um tipo de lira da braccio. Durante o Renascimento, a lira da braccio era bastante popular, possuía cinco cordas, era tocado com arco e apoiado sobre o antebraço. No início do período Barroco a lira da braccio perdeu espaço para o violino.

Nenhuma lira de prata sobreviveu até nossos dias, mas podemos saber um pouco sobre elas por meio da biografia de Leonardo da Vinci que Giorgio Vasari (1511-1574) escreveu no século XVI, intitulada “Le vite de’ più eccellenti pittori, scultori ed architetti” (Florença, 1568). Nesta obra, Vasari conta que certa vez, Da Vinci foi chamado para se apresentar para um importante Duque. O artista tocou na ocasião um estranho instrumento, uma lira da braccio em forma de cabeça de cavalo, a lira de prata! Vasari ainda conta que Da Vinci havia construído ele próprio o instrumento e que este possuía ótima sonoridade.

O Leonardo Museum reconstruiu cinco tipos diferentes de lira de prata, veja um deles:  

Lira de prata

Lira de prata

Lira de prata

Lira de prata

Lira de prata

Lira de prata

 

Bem, a lira de prata é um instrumento híbrido que nasceu não mais da junção de dois instrumentos musicais diferentes, mas sim da união da lira com um crânio de cavalo! Na semana que vem mostraremos mais um instrumento que nasceu da junção de um instrumento musical com um objeto que à princípio não é considerado musical. Este instrumento está presente no nosso acervo, você consegue descobrir qual é? Mande suas sugestões pela página no Facebook do MVIM!


Fontes:

  • DOURADO, Henrique Autran. Dicionário de termos e expressões da música. Editora 34: São Paulo, 2004. Grove Music Online: http://www.oxfordmusiconline.com/public/book/omo_gmo
  • Imagem viola organista: http://laughingsquid.com/leonardo-da-vincis-500-year-old-design-for-viola-organista-built-and-played-by-polish-musician/
  • Imagem do caderno de Leonardo Da Vinci: http://mundodemusicas.com/da-vinci/
  • Imagem do interior da viola organista: https://www.ideafixa.com/
  • Imagens lira de prata: Leonardo3 Museum – Silver Lyre: http://www.leonardo3.net/en/l3-works/machines/1471-silver-lyre.html.